Mini Imagine com Harry Styles // Happy Bithday

|| ||
Era meu aniversário mas preferia morrer do que viver esse dia. Tá, acho que exagerei um pouco nas palavras. Mas eu realmente não aguento mais, mais uma briga em casa e eu acho que desisto totalmente. Minha mãe está em crise com meu padastro e isso vem causando brigas constantes em casa, me deixa louco ver aquele cara tratando minha mãe mal daquele jeito. Hoje foi o cúmulo e eu não aguentei e parti pra cima dele. Ganhei um olho roxo, a boca sangrando e ainda pra piorar a situação, briguei com Gemma por ter defendido nossa mãe, mas se eu não fizesse isso quem ia fazer?

 Estava um tempo bom para andar no parque e esfriar a cabeça, acho que isso melhoraria meu mau humor. Me sentei no gramado vendo várias pessoas andando por ali, crianças correndo com balões de gás hélio pelo parque e casais namorando. Comecei a pensar e involuntariamente comecei a chorar, era difícil tudo o que eu estava passando, tudo o que eu estava vendo minha mãe passar e se eu não derramasse as lágrimas agora, esse sentimento dentro de mim me destruiria a qualquer momento.
- Até quando?- eu pensei alto e notei que havia uma garota sentada ao meu lado. Ela era morena, cabelos cacheados e armados que batiam no meio das costas, seu olhos eram puxados, sua pele era escura, da cor do pecado. Quando ela notou que eu a encarava ela sorriu, revelando que seus dois dentes principais eram levemente separados. Ela era linda.
- Se me permite.- ela se sentou mais perto de mim, trazia consigo uma sacola.- O que aconteceu? Quer conversar sobre isso?
- Minha vida é um porre, eu ando enfrentando várias coisas que não queria.
- Se abre.- ela fuçou na sacola e me deu uma garrafinha de suco e eu peguei, ela tinha outra nas mãos.
- Minha mãe e meu padrasto brigam todos os dias, minha mãe quer lutar pela relação mas eu quero mesmo que eles terminem tudo logo. Eu não aguento mais ver minha mãe sofrendo pelos cantos, sem contar que a uma semana atrás eu fui abandonado pela minha namorada de anos, ela está com meu ex melhor amigo agora.- a expressão dela era surpresa, suspirei bebendo um gole do suco que por sinal, era muito bom.
- Acho que deve deixar sua mãe cuidar da relação dela sozinha, mesmo que seja difícil pra você ver um cara a maltratando, só se intrometa quando perceber que ela anda quieta demais... minha mãe sofria com o ex marido também, ele batia nela e ela só me contou quando estávamos livre dele.- eu a encarei.- Ela sempre aparecia com manchas pelo corpo e dizia que tinha batido quando levantava a noite, eu sempre desconfiei mas deixei que ela passasse por tudo, foi até uma grande lição pra ela.- a garota sorriu, era o sorriso mais lindo que eu já tinha visto.
- Que porre.- eu olhei pro céu, estava estrelado e a lua era cheia.- E pra piorar, hoje é meu aniversário.- ela também olhava o céu.
- O meu também...

 Encarei a garota, era difícil acreditar que aquilo estava acontecendo, era muita coincidência, eu a olhava e ela parou de admirar o céu e me olhou também. Fuçou na sacola e pegou dentro dela dois cupcakes e duas velas, colocou uma em cada um e as acendeu.
- Feliz aniversário...- ela não completou a frase e percebi que era porque não sabia meu nome.
- Harry.- completei.
- Feliz aniversário Harry.- ela sorriu.
- Feliz aniversário...- eu disse, com as sobrancelhas franzidas.
- SeuNome. ela riu.
- Feliz aniversário SeuNome.
- Faça um pedido antes de assoprar!- ela me repreendeu quando viu que eu ia tirar a vela.- Vamos fazer juntos.- ela fechou os olhos e eu fiz o mesmo, desejando que tudo o que eu estava passando acabasse, que o sentimento de ódio que crescia dentro de mim acabasse e que tudo voltasse a ser como antes. Quando abri os olhos e SeuNome me olhava.
- O que foi?- eu perguntei e apaguei a velinha, a tirando do bolinho em seguida.
- Você fez umas expressões estranhas.- ela riu um pouco e mordeu seu cupcake e eu fiz o mesmo com o meu.
- O que trás uma garota legal como você a um parque como esse, com uma sacola com suco e bolinhos que a propósito são deliciosos.- eu disse, de boca cheia, era mesmo bom.
- Acabei de terminar com meu namorado, minha situação amorosa está quase igual a sua, só que no meu caso ele se pegava com a minha inimiga de infância. Eu iria vir aqui com ele como fazíamos a dois anos e eu não quebraria essa tradição só porque ele é um babaca. É uma merda se sentir traída.
- Não se lamente por causa dele, existem pessoas melhor para você.
- As vezes tenho minhas dúvidas.- ela deu uma última mordida no seu bolinho e amassou a embalagem, ela teve dificuldade pra engolir o pedaço grande que tinha colocado na boca, então, bebeu um gole de suco e conseguiu engolir.
- Você é daqui? Digo, do Reino Unido? Seu sotaque é diferente.
- Sou brasileira, mudei pra cá a três anos, mas ainda estou me acostumando com o sotaque.- ela me olhou sorrindo.- 
- Uau!- eu estava surpreso.- Isso explica sua beleza de outro mundo.
- O Brasil ainda fica no planeta terra, tá?- nós rimos.
- Então acho que essa cantada não rolou, me desculpa mesmo.- eu acabei de comer meu bolinho.
- Está desculpado Harry.- ela sorriu.- Então... o que faz da vida?
- Tenho uma banda de garagem, trabalho em uma padaria perto de casa. nas horas vagas sou galã de novela. - ela gargalhou - O que é? É verdade, tá?
- Acredito, você com essa carinha de bobo, galã? Claro, totalmente.
- Pois agora mesmo eu vou encenar pra você ver se eu não sou.

 Me levantei e suspirei, virei minha cabeça para o lado dela em um gesto rápido, me sentei parecendo sexy e a olhei de olhos cerrados.
- Oi gata, vem sempre aqui?- ela tentou se conter, mas o riso acabou saindo alto, eu a acompanhei enquanto a mesma soltava uma gargalhada gostosa.
- Você é o cara mais legal e idiota que já conheci em toda a minha vida.- ela agora estava deitada me olhando. Deitei também, a grama estava molhada com o sereno e o parque já não estava tão lotado assim.- É lindo, não é?- ela perguntou, observando o céu novamente.
- Muito.- eu disse a encarando, me referindo a ela.
- As vezes me pergunto se existe mesmo um cara que mora lá, mas quando vejo as coisas maravilhosas que existem no mundo percebo que sim... sabe, Harry, reclamamos demais. Tantas pessoas perdendo a vida por pouca coisa, tantas pessoas sofrendo, passando fome e nós que temos tudo e ainda reclamamos. Não é o marido ruim da sua mãe ou o meu ex namorado traidor que podem acabar com nosso dia assim, temos que ser felizes, independente das lutas que a vida nos opõe.
- Então vamos esquecer os problemas e ser feliz por pelo menos essa noite?- eu disse, me levantando e estendendo a mão a ela. SeuNome pegou em minha mão e eu senti confiança exalando dela.


Can you see me
Cause I'm right here
Can you listen?
Cause i've been trying to make you notice
What it would mean to me
To feel like somebody
We've been on our way to nowhere
Tried so hard to get there
And i say oh!

Saímos correndo pelo parque, as poucas pessoas que estavam ali nos olhavam como se fossemos loucos, e éramos, pelo menos por hoje. A meia noite se aproximava e o máximo que fiz no meu aniversário foi brigar. Não queria isso e SeuNome com certeza também não. Chegamos até uma parte do parque que tinha um lago enorme e uma árvore alta perto dele. SeuNome me olhou sapeca e saiu correndo rumo a árvore e a escalou tão rápido que eu não acreditei. Tentei subir também e levei alguns minutos, recebendo muita motivação da garota que estava lá em cima. Quando consegui subir, me sentei ao lado dela no galho grosso da árvore, acho que aguentraria nós dois.
- As pessoas devem nos achar loucos.
- Vamos brilhar pra quem possa ver, fomos feitos pra ser alguém e mostrar pro mundo que podemos ser felizes mesmo nos tempos difíceis...- ela me olhava nos olhos, sorrindo.

We're gonna let it show
We're gonna just let go of everything
Holding back our dreams
And try
To make it come alive
Come on let it shine so they can see
We were meant to be, somebody
Somebody, somebody yeah
Somehow, someday, someway, somebody

- Estou cansado de tudo, mas agora me sinto como se não tivesse problema algum, você me faz sentir muito bem, como se já nos conhecêssemos a tempos.
- Talvez tenhamos vivido outra vida juntos, não nos encontramos a toa, Harry.

 Nós nos olhávamos e como se tivesse um imã nos atraindo, avançamos ao mesmo tempo, nos beijando. Era insano o que eu sentia, sentia que podia contar com ela a todo momento, como se ela sempre estaria ali pra mim, me colocando pra cima, me convencendo a tentar mudar o mundo, a me destacar entre as pessoas, SeuNome espalhava amor por onde passava e chegou a minha vez de poder receber pelo menos um pouco dela.

 Só paramos o beijo porque eu me desequilibrei e acabei caindo, SeuNome estava assustada e desceu da árvore imediatamente.
- Por Deus, está tudo bem com você?- ela veio até mim.
- Acho que sim.- eu disse, com a mão na barriga, não queria demostrar que foi doloroso, ela me acharia ridículo. SeuNome começou a rir, mas eu não estava achando graça nenhuma, mas vê-la rir, me fazia rir e eu lutava para parar mas não conseguia.

I'm so tired
Of being invisible
But i feel it, yeah!
Like a fire below the surface
Trying to set me free
But inside of me
Cause we're standing on the edge now
It's a long way down
But i say oh!

 Ela me ajudou a levantar e com muita dificuldade eu me recuperei do tombo e do riso. Andamos por mais alguns minutos, ficamos conversando e descobrimos muito um do outro, ela era maravilhosa e se SeuNome não fosse feita pra mim, eu acho que eu não tinha uma alma gêmea. Nossos celulares começaram a tocar ao mesmo tempo, eu tinha dito a mim mesmo que quando desse meia noite iria agradecer pelo dia ter acabado, mas agora iria agradecer por ter acontecido. Desligamos os alarmes e nos olhamos rindo.
- Feliz desaniversário.- ela me deu um soco de leve no braço.
- Pra você também!

 Nos abraçamos e eu fiz questão de beijá-la novamente. Tínhamos conversado tanto que não nos beijamos mais nenhuma vez e o beijo era tão bom que eu queria ficar beijando ela mais e mais até ela se cansar.

We're gonna let it show (let it show)
We're gonna just let go of everything
Holding back our dreams
And try
To make it come alive
Come on let it shine so they can see
We were meant to be somebody
Somebody, somebody yeah, somehow, someday, someway somebody

 O celular de SeuNome continuou a tocar e ela parou o beijo e atendeu.
- Alô... Estou no parque... Nada, só pensando... Okay... Tchau.- ela desligou e me olhou triste.
- O que houve?
- Preciso ir.- ela disse.
- Já?
- Sim, minha mãe está querendo que eu vá pra casa... eu não quero ir.- ela me abraçou forte.- Eu amei te conhecer, amei ficar aqui com você, não queria que acabasse.
- Eu estou sem palavras, pareceu um pequeno infinito passar esse tempo com você.

 Ela me puxou para um beijo, ele transmitia que seria o último e me deixava triste, mas aproveitei o nosso momento. Quando partimos o beijo ela pegou em minhas mãos e olhou no fundo dos meus olhos.
- Tchau Harry, nos trombamos por ai.
- Tchau, SeuNome.

 Eu a abracei forte, não queria que aquilo acabasse nunca. Quando nos soltamos, ela me olhou e saiu em disparada, talvez se fosse andando se arrependeria e voltasse.

We will walk out of this darkness
Feel the spot light glowing like a yellow sun
OOhh
And then we fall, we fall together
Till we get back up and we will rise as one
OOhh we're gonna let it show
We're gonna just let go of everything
Holding back our dreams
And try
To make it come alive
Come on let it shine so they can see
We were meant to be somebody
Somebody somebody yeah somehow someday someway

***
 E eu nunca mais a vi. Todos os dias eu ia ao parque, para ver se ela estava ali, mas ela nunca estava. Eu a esperava todos os dias até a meia-noite, eu havia me apaixonado por alguém que eu sequer conhecia. Eu sou tão burro que nem telefone com ela eu troquei, nem marcamos outro dia para nos vermos, talvez para ela foi apenas coisa do momento.

 Primeiro de fevereiro, um ano havia se passado e eu não acreditava que tinha sido tão rápido. Minha vida estava tão resolvida, minha mãe havia se separado do meu padastro e nossas vidas estavam uma maravilha.

 No mesmo horário que eu sai de casa há um ano ano atrás, eu sai hoje, indo até o parque e me sentando exatamente no mesmo lugar que havia me sentado naquele dia.

 Devo dizer que esperei por algumas horas e quando cai na real que nunca mais a veria mesmo, abaixei a cabeça e comecei a chorar, perguntando a Deus porque coisas ruins só aconteciam comigo. Alguém colocou a mão em minhas costas, acariciando e me passando conforto e eu levantei a cabeça para ver quem era e ela estava ali. Eu não acreditei no que estava vendo, admito que até pisquei algumas vezes pra ver se não era uma miragem e então SeuNome riu e me beijou. O mesmo beijo de um ano atrás, o beijo que eu queria ganhar todos os dias da minha vida. Quando nos separamos, ela mostrou que em sua mão havia um cupcake exatamente igual como o daquele dia, a vela já estava acesa e ela sorria.
- Feliz aniversário, Harry.- eu sorri involuntariamente.
- Feliz aniversário, SeuNome.

Somebody somebody
OO oh...

FIM.


Imagine retirado do blog: Imagines for Direcioners

Um comentário:

  1. Ok, isso foi... Foi... ISSO FOI INCRÍVEL, CARA! MEU DEUS, QUE COISA MAIS FOFA, SOCORRO.... Amei <3

    ResponderExcluir