Querida Katy #2 / 2ª Temporada

|| ||


Katy Woods

                Após uma semana da morte da minha avó, eu me vi encarcerada em um mundo somente meu. Não tinha mais animo para comer, me arrumar, ver TV, ou sequer viver. EU só chorava, dormia e comia um pouco, passei esse tempo todo trancada no meu quarto, presa dentro de mim mesma, me afundando mais e mais nesse poço de solidão e tristeza que eu mesma criei para me prender.

                Até que não está tão difícil de conviver com meu pai, ele quase não fica em casa, só chega para dormir e visivelmente bêbado, eu queria saber se ele está sofrendo, mas aparentemente não. Ele está fazendo como antigamente, como quando eu era uma criança...

Eu não quero lembrar, mas essas lembranças estão tão vivas em minha cabeça.

“Já era tarde e eu estava debaixo da minha cama, eu queria que ninguém mais me achasse, mas cedo eles viriam aqui me pegar. Eu só queria a minha mamãe, eu chorava porque queria a minha mamãe, mas ela me deixou, ela foi embora e me deixou aqui com eles. Eu não gosto desses homens.”

                Encolhi-me na minha cama e comecei a chorar. Eu não quero lembrar isso, eu não posso lembrar isso. Talvez se eles não fossem tão cruéis eu não estaria sofrendo agora. EU poderia ser feliz, mas a vida escolheu a mim para sofrer.

                Eu já estive diversas vezes a ponto de me matar, eu segurei a faca e olhei para o meu pulso, mas eu não o fiz. Eu achava que um dia talvez eu pudesse ser feliz, achei que um dia eu poderia esquecer isso tudo e seguir em frente, mas não...

                Aqui estou eu, novamente, em frente ao espelho, segurando uma tesoura e olhando para o meu pulso. A morte agora não seria algo tão ruim...

“Eu me tranquei no banheiro, não queria que eles me achassem, mas o papai estava lá, andando pelo corredor atrás de mim ‘venha querida Katy, eles gostam de você’. Se eles gostam por que dói tanto? Por que sangra? Por que me machuca?”

– Não... – Comecei a chorar.

                Eu era tão nova, era apenas uma criança. Eu não entendia o que estava acontecendo, mas achava que isso ajudava meu pai, meu pai dizia que isso o ajudava com as contas da casa, eu não queria decepcionar meu pai.

– Mas o culpado é ele... Não eu... – Comecei a resmungar.

                Coloquei a tesoura na mesa, decidi não me matar, a culpa é dele, a culpa é deles, não minha...

– Eu era só uma criança.

                Repetia a mesma frase enquanto eu andava de um lado para o outro no meu quarto. E sim, eu era só uma criança, e eles tiraram a minha inocência sem pensar, eles arrancaram de mim a minha vida. Eu queria ser uma criança novamente, queria poder resgatar a minha inocência, mas agora não é mais possível.

– Eu era só uma garotinha! – Gritei.

                Arremessei um vaso contra a porta do meu quarto.

– Por que Deus? Por quê?

“Ele gritava meu nome, ele estava com raiva de mim, mas eu não queria sentir dor de novo, mas sempre quis ser uma filha obediente para o meu papai e eu saí do banheiro. ‘O que você estava fazendo? ’, mas ele não esperou uma resposta, ele me puxou pelo braço com força e me puxou até o carro. Iriamos para aquele lugar, aquele que tem cheiro de cigarro e bebida. Eu odiava ficar lá. Às vezes eles me mandavam beber algo, meu estômago doía e no dia seguinte eu passava mal, mas eu quero ser uma boa filha para o papai.”

– Katheryn! Abra essa porta! – Ouvi meu pai gritando.

                Eu não respondi, chutei os cacos do vaso para o lado e abri a porta, me surpreendi ao vê-lo sóbrio, coisa que não acontece há uma semana.

– O que você quer? – Disse seca.

– Vá tomar um banho e coloque uma roupa, você não saí desse quarto há uma semana.

– Pra quê?

– Vamos comer fora, e sem pestanejar, por favor. Você tem 20 minutos.

                Ele saiu sem dizer mais nada. Eu tranquei no meu quarto novamente, decidi tomar banho. Não que eu esteja com vontade de sair com ele, nem estou com vontade de ficar perto dele.


Ele é a única pessoa que eu tenho no momento.


Continua

Oiiiiiie meninas, então, eu não demorei muito para postar o capítulo né?
Estão ansiosas para saber o que realmente aconteceu com Katy?
Eu estou louca para vocês saberem.
Fiz esse capítulo curto, intencionalmente para deixar vocês curiosas haha.
Sim sou má.
Mas espero que vocês tenham gostado.
Por favor, comentem!
Os comentários de vocês me incentivam demais a continuar escrevendo a fanfic para vocês!

Amo todas vocês!
XoXo

Para se comunicarem comigo

7 comentários:

  1. Fiquei acorda até agora.
    Cara estou super ansiosa pra o próximo capítulo

    ResponderExcluir
  2. Aarrg por que você sempre termina os capítulos assim? Logo quanto tá ficando bom você para. Continua logo, por favor

    ResponderExcluir
  3. Ah amizade... fazer isso intencionalmente não foi legaaaal... kalsjdfla
    Ai gente, eu fiquei muito feliz quando vi uma atualização da sua fic, eu pensei que seria só daqui uma ou duas semanas, mas aí vejo aqui e BUM tem um capítulo novo!
    Obrigada pela rápida atualização, e que esse milagre caia sobre o próximo capítulo kkkkk
    Continua mona que está muito bom!

    ResponderExcluir
  4. Heeyy!!!
    Flor, eu realmente AMEI o seu blog. Já estou seguindo, ok?
    Aceita afiliação?
    http://worldofdirectioner20.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. cade você querida Duda?
    morrendo de ansiedade para o próximo capítulo
    você arrasaaaaa
    obs: não estou cobrando nada, sei que você tem sua vida e que o blog é um passatempo ( que faz muito sucesso), que você trabalha trabalha, estuda e eu te admiro muito por isso e por ter tempo de nos fazer feliz com suas incríveis fanfics
    um big beijo

    ResponderExcluir