Is Only Love #26

|| ||
Essas palavras vão entrar no coração, e eu vou sofrer as coonsequências como cão." Foi primeira coisa que veio na minha mente quando o medico falou que eu estou grávida, essa musica da Legião Urbana “Faroeste Caboclo”. Isso não poderia está acontecendo comigo. Senti lagrimas escorrerem pelos meus olhos, o que seria de mim naquele momento.
 - Me tira daqui.... – Eu falei.
 - Você tem que ser consultada por um obstetra, sua pressão cardíaca está alta...
 - Me tira daqui! – Eu gritei.
 - Você não pode ter alta. – O meu pai falou.
 - Eu quero ir embora, me tira daqui, por favor. – Eu precisava fugir daquele lugar, eu precisava chorar chorar e chorar.
 - Eduarda tem a saúde do seu bebê. – A Cindy falou. Meu pai está com ódio de mim, eu estou com ódio de mim.
 - Eu quero ficar com meu pai. – Eu falei todos se retiraram menos meu pai, eu me sentei na cama e comecei a chorar muito, meu pai se sentou ao meu lado e me abraçou.
 - Eu te amo tanto... – Ele falou. – Você é uma criança com outra criança agora. – Ele falou me abraçando com mais força.
 - Você quer me matar né? – Eu falei olhando para ele.
 - Muito você não sabe como, é melhor falar disso depois. – Ele falou.
 - Eu não queria que isso acontecesse, não estou preparada para ser mãe.
 - Essa criança vai ser o seu castigo... – Ele falou.
 - Como assim?
 - Ué Maria Eduarda você vai perder sua vida pra cuidar de uma criança, não foi falta de aviso. – Ele falou.
 - E se eu fizer um aborto? – Eu perguntei.
 - Seu castigo será a sua culpa. E eu não deixaria você fazer um aborto. Você foi mulher para fazer, vai ser adulta para cuidar agora. – Ele falou. Eu coloquei a mão na minha testa como  quem queria pensar, mas meus pensamentos eram confusos, era apenas tristeza.
 - Pai quando eu vou poder ir embora?
 - Quando você for consultada com um obstetra.
 - Pai amanhã eu vejo isso eu preciso mais é ir para casa, por favor, me tire daqui, eu não consigo pensar direito.
 - Vou falar com o médico. – Meu pai falou se retirando do quarto e logo em seguida a Andrielle entrou.
 - Oi gravidinha. – Ela falou e eu amostrei o dedo para ela. – Nossa, quanto amor pelo seu filho. – Ela falou.   
 - Nem vem Andrielle.
 - Então vazou na internet que você está aqui no hospital.
 - Como?
 - Acho que foi uma directioner que postou no twitter, ou coisa assim, só sei que está falando disso demais na net. – Ela falou me entregando o celular dela.
 - Nossa que legal, pessoas me apoiando pela primeira vez na vida. – Eu falei.
 - Mas ninguém sabe da gravidez né?
 - Não os médicos não divulgam nada e no corredor é proibido falar qualquer coisa.
 - Menos mal. – Eu falei. – Vou entrar no twitter. – Falei pegando meu celular.
                Eu abri meu twitter e algumas pessoas subiram a tag “#StayStrongDudaRay” e “StayStrongHarry” eu acho que as fãs estão começando a entender isso, achei legal elas me mandarem mensagens de apoio para mim e Harry, fico feliz em saber que algumas gostam de mim.Eu decidi postar uma foto no instagram e avisar que eu estou ótima, eu postei a foto com a legenda “Valeu pelo apoio de todos, eu estou bem foi apenas um mal estar. #StayStrongDudaRay #StayStrongHarry Xx”
 - Viu pelo menos nem todas te odeiam. – A Andrielle falou se sentando ao meu lado na cadeira. – Duda qual é a sensação de saber que tem um bebê dentro de você.
 - Ele não é um bebê é um embrião ainda. – Eu falei. – E eu não me sinto mãe.
 - Nossa Duda você é muito sensível. – Ela falou com uma cara.
 - Andrielle eu recebi essa noticia há trinta minutos, como eu vou amar uma coisa que eu nem vi na minha vida, uma coisa que vai acabar com a minha vida futuramente, é assim que eu vejo essa coisa dentro de mim. – Eu falei.
 - Coisa Duda? Essa coisa é o seu filho ou filha. – Ela falou alterando a voz.
 - Só preciso me acostumar com essa ideia, apenas isso. .  – Eu falei me alterando também.
 - Não se estressa isso não vai fazer bem para o bebê. – A Andrielle falou  e eu bufei. Ainda é muito recente para amar a “coisa” dentro de mim, eu ainda estou vendo os pontos negativos e positivos disso. Eu estou pensando seriamente em abortar sem contar para o Harry antes sem contar para ninguém, mas como o meu pai falou e me sentirei culpada o resto da minha vida se eu fizer isso, essa criança não pediu para nascer... Ei ela não pediu para nascer então por que nascer né? Ideias psicopatas essas minhas. Eu tentando acabar com uma vida que nem começou direito? Eu querendo matar meu próprio filho (a)? Ainda tem o Harry nisso tudo. Eu estou muito confusa, eu não me sinto prepara para encarar a maternidade, eu não me sinto preparada para enfrentar a maternidade nessas condições... Meu Deus o que será de mim? Eu vou enfrentar isso praticamente sozinha, eu não tenho mãe, como eu queria que minha mãe estivesse aqui comigo agora, ela seria a melhor pessoa para ficar comigo nesse momento.
                Eu peguei meu celular e digitei a mesma mensagem umas dez vezes, como dizer ao Harry que estou grávida? A primeira mensagem foi “Amor eu estou grávida!” , mas eu apaguei, a outra foi “Harry fui ao hospital e descobri que eu estou grávida.” , a outra foi “Não queria que isso acontecesse, mas eu engravidei.” . Mas nenhuma mensagem era boa o bastante para mandar a ele, eu acho melhor esperar mais, quando ele voltar e eu me sentir pronta vou falar com ele. Minha cabeça está latejando só pelo simples fato de estar grávida. Será que o Harry vai aceitar o que ele vai achar, o que as fãs irão dizer os meninos da banda, minha família no Brasil... Isso envolve tantas pessoas, tantas coisas.
                Meu pai entrou no quarto e se sentou do meu lado.
 - Eduarda, eu liguei para a sua vó Clara. – Ele falou. Clara é a mãe da minha mãe. – Ela está vindo para cá... Eu não sei o que fazer eu não sei. – Ele falou quase chorando.  
 - Desculpa pai. – Eu falei. Andrielle saiu do quarto.
 - Não Eduarda, não precisa pedir desculpas, eu não estou preparado para isso, eu não me preparei emocionalmente para isso... Eu sei que o meu neto ele vai ter uma boa vida, ele será bem vindo demais, mas e você? E você como vai ficar nisso tudo? Como? – Ele falou e me olhou chorando. – Eduarda eu sou sozinho, seria muito mais fácil se sua mãe estivesse aqui comigo, dando conselhos a você do que eu que sou homem, vendo essa situação eu sinto que falhei como pai.
 - Não pai, não fala isso você não falhou você é um ótimo pai, eu que falhei... Eu e Harry na verdade. – Eu falei chorando.
 - Eduarda...  – Ele falou sentando na beira da cama e me abraçando. – Eu estou com você nessa, eu a Cindy, Andrielle, sua vó, nós estaremos ao seu lado para tudo... – Ele falou. – É só você aprender a amadurecer e cuidar dessa nova vida aqui dentro da sua barriga. – Ele falou com a mão na minha barriga.
 - Eu sei... – Eu falei colocando a mão sobre a dele.  
 - Posso jurar que senti alguma coisa se mexendo.
 - Foi só meu estomago pai, estou com muita fome.
 - Você engravidou do Niall por acaso Eduarda? – Meu pai falou sorrindo.
 - Não pai... – Eu falei sorrindo.
 - Eduarda Ray, a senhorita terá alta. – O medico falou entrando. – Desde que você amanhã vá sem falta a um obstetra, você precisa cuidar da vida do seu filho.
 - Eu sei vou fazer isso. – Falei fazendo careta. Ele me deu alta.
                Eu saí do hospital e tinha algumas pessoas, repórteres querendo saber sobre mim, algumas directioner, mas que saco nem no hospital eu tenho paz.
 - Pai passa no Drive do Mc Donald, por favor. – Eu falei quando estávamos perto do Drive. Meu pai passou lá, eu nunca comi uma coisa com tanta vontade.
                Eu cheguei em casa correndo para o banheiro, eu queria vomitar, eu não vou aguentar isso por muito tempo.
 - Gravidez é assim mesmo.  – Era a Darlene entrando no banheiro.
 - Eu não quero isso Darlene. – Eu falei me virando para ela e fechando a tampa do vaso e me sentando.  
 - Ninguém quer isso na sua idade... Mas aconteceu agora você e o Harry terão que encarar isso de frente.
 - E se ele não quiser?
 - Você vai espalhar isso ao mundo, porque cuidar dessa criança sem um pai você não vai. – Ela falou no “estilo Darlene”.
 - Nossa me deu até medo agora.
 - Eu só não gosto que fazem mal a minha princesinha. – Ela falou. – Vou fazer uma sopa para você.
 - Precisa não. – Eu falei.
 - Claro, saco vazio não para em pé, você vai comer sim. – Ela falou.
                Eu não quero vomitar de novo.


___________________CONTINUA__________________

  



   



4 comentários:

  1. Mtoo bom !! Nossa!! Continua linda!
    XxPatríciaxX

    ResponderExcluir
  2. Mto bom mas achei mto previsível essa historia de gravidez

    ResponderExcluir